segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Ser Cristão - Vitória no Deserto



1. O deserto não é lugar de reprovação  nem de punição!

     Tomemos como exemplo o nosso Senhor Jesus que enfrentou com sucesso os dias de seu treinamento no deserto. Em Lucas 3.22 o espírito Santo desce sobre Ele ( Jesus ) na forma visível de uma pomba e ouve –se o Pai proclamando: “ Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo”. Ele não apenas proclamou para que todos soubessem que Jesus era o seu filho; Deus fez questão de anunciar que tinha prazer nele. Mesmo assim, Lucas 4.1, “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou ao Jordão, e foi guiado pelo mesmo Espírito  no deserto”. Só este fato deveria lembrar-nos que a razão de sermos levado para o deserto não é porque fomos desaprovados ou porque estamos sendo punidos por Deus. Jesus foi aprovado por Deus e levado ao deserto! Precisamos deixar isto bem claro que você foi  perdoado, foi aceito filho de Deus e desta forma você pode passar pelo deserto e não pensar que está sendo punido ou sendo reprovado por Deus!


2. Percebendo o Deserto em Nossa Vidas

É difícil ver a mão de Deus agir em nós, quando estamos no deserto.

Jó 23.8-10 -   Eis que, se me adianto, ali não está; se torno para trás, não o percebo. Se opera à esquerda, não o vejo; esconde-se à direita, e não o diviso. Mas ele sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o ouro.

     Eis aí uma descrição clássica do deserto. Jó procura ver a presença e o mover de Deus em sua vida, mas  quanto mas busca, menos encontra. Deus,no entanto, está trabalhando a seu favor e sabe tudo o que está acontecendo com ele. O fato da presença de Deus não ser perceptível não que dizer que ele não esteja ali, trabalhando em nossas vidas.
     Quando você aceitou o Senhor Jesus com o Senhor e salvador de sua, e ele o encheu do seu Espírito, a presença de Deus era maravilhosa e real. Você apenas sussurrava o nome dEle e ele estava ali junto com você e toda atenção se volta para você. Semelhantemente a uma criança recém-nascida, você recebia toda atenção do Senhor. As crianças precisam de extremos cuidados.      Precisam ser alimentadas, alimentadas, trocadas, banhadas e dependem da ajuda dos maiores para sobreviver. À medida que crescem, no entanto, aprendem as atividades necessárias a cada passo de seu desenvolvimento. Quando nosso filho começa a se alimentar sozinho, ele sente frustrado por não ter a mesma agilidade que ver de sua mãe. Ele luta, procura fazer o que a mãe faz mas tem dificuldade. Seria muito mais fácil para ele que continuássemos a alimentá-lo; certamente lhe pouparia trabalho. Contudo, se assim procedêssemos tiraríamos dele a oportunidade de aprender e de crescer. O nível de assistência e cuidado que um bebê tem que ser mudado á medida que cresce. Isto os encoraja a crescer e a amadorecer.
     É assim que Deus faz conosco a fim de amadurecemos espiritualmente. Quando nos convertemos e somos cheio do Espírito Santo, ao menor gemido nosso, Deus se manifesta, vindo em nosso socorro. No entanto, para podermos amadurecer, ele permite que passemos por períodos  em que já não nos responde a qualquer momento.
Chegou a hora do aperfeiçoamento do caráter, e é no deserto que isto ocorre... No deserto, parece que Deus está há milhares  de quilômetros de nós e suas promessas parece inatingível. Na realidade ele está ali, bem junto de nós, pois prometeu que jamais nos abandonaria ( Hb 13.5).

      O deserto é um período em que você tem impressão de está andando na direção contraria a tudo que sonhou, distanciando cada vez mais da promessa divina. É um período em que você percebe que não cresce e nem amadurece. De fato, parece que você está retrocendendo. A presença de Deus parece diminuir. Sente que não é amado e acha que ninguém olha para você. Mas lembre, não é bem assim, Deus está cuidando de Você.

3. Deus leva você ao deserto, mas não deixa você só

       
    Os filhos de Israel que viveu no deserto recebe de Deus a seguinte promessa: “ Recordar-te-ás de todo caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos....” Dt 8.2. Entenda bem: o Senhor não para de agir em nossas vidas só por que estamos no deserto. Ele nos conduz, e sem ele nunca chegaríamos do outro lado!
       Além do mais, o deserto não é lugar onde somos deixados, “ como numa prateleira”  até que ele volte a nos usar. Não é assim que Deus age conosco. Ao contrario, o deserto é um período de tempo no qual ele age em nós constantemente. Você conhece a expressão “não se vê a floresta através das arvores”? Da mesma forma com o deserto: é difícil ver a mão de Deus agir em nós, quando nele estamos.

4. O deserto não é lugar de derrota!

      Jesus fraco e com fome, sem ninguém a quem recorrer e sem ninguém que o encorajasse; sem qualquer conforto ou manifestação sobrenatural, durante quarenta dias, foi atacada pelo inimigo no deserto. Jesus derrotou o diabo usando a palavra de Deus (Mt. 4.1-11). O deserto não é o lugar onde os filhos de Deus saem derrotados, mais com vitorias.
Peregrinando no deserto, o povo de Deus era constantemente hostilizado pelas nações pagãs. A ORDEM DE DEUS ERA: lutem! O de Deus derrotaram os amorreus (Nm 21.21-25), derrotaram os midianistas (Nm 31.1-11) e também derrotaram os povos de Basã (Nm 21.33-35). Deus tinha um propósito para seu povo, a Vitoria! Mas eu tenho uma má noticia aqueles que não acreditaram em Deus não conseguiram entrar na terra prometida. Não entraram, não!
       As escrituras é bem clara!  O deserto em nossas vidas não é porque fomos desaprovados, ou porque  estamos sendo punido por Deus, nem tão pouco um lugar onde Deus nos leva  e nos deixa vagando sozinhos. O diserto é um lugar de vitória, se apenas obedecemos e cremos na orientação de Deus!

Como diz as escrituras, “Graça, porém, a Deus que em cristo sempre nos conduz em triunfo...” II Co 2.14; grifo o autor).